segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sociedade Panteísta Ayahuasca realiza sua primeira cerimônia de casamento

No dia 13 de novembro de 2011, na Praia de Carneiros/PE, aconteceu o primeiro casamento celebrado pela Sociedade Panteísta Ayahuasca. O ritual foi elaborado e conduzido pelo presidente fundador da Sociedade, Régis Alain Barbier. Em aproximadamente 45 minutos foi possível assistir uma cerimônia inédita e nada convencional.

Dentro de um círculo de pétalas, cercados por tochas, bandeiras, ao som da batida de um gongo, os noivos, Liza Rolim Baggio e Renato Corrêa olhavam para o sacerdote que iniciava o ritual evocando os principais elementos da natureza, a começar pelo fogo. “A tocha agora acesa, simboliza o grande processo vital universal, energia que se transcreve desde o início dos tempos, vindo do incógnito, até gerar a vida biológica planetária, gerando as plantas, os animais e os seres humanos, e, hoje, agora, liderando um círculo vivo, de luz, festa e alegria. Que todos possam sentir a luz e a fraternidade, a harmonia, exuberantes, atuais e presentes em toda a natureza”. 

Tudo ali possuia um significado, cada cor de bandeira, posição dos objetos, sonoridade. O pôr do sol, o vento que soprava do mar revelavam a essência daquele momento. “Dar e receber, são duas faces do mesmo fenômeno. Sapiens é entender que os princípios da natureza circulam em nós e no todo, eternamente, além do que possamos imaginar: reverenciamos o imenso e o incógnito com respeito e profunda admiração. Sentimento agora festejado e afirmado com uma queima de essência, um movimento em busca do sublime”.

As novidades ganharam a atenção dos convidados, que também interagiam com o ritual. Todos participavam de alguma forma, seja apanhando um punhado de vapor do incenso e lançando a essência ao ar ou atirando gotas de água nas flamas da tocha. Através de um momento intitulado de “cesta de desejos” os presentes se aproximavam voluntariamente dos noivos para lhes desejarem votos de amor, compreensão, companheirismo e felicidade.

Foi uma cerimônia inesquecível, fora do lugar comum, diferente de muitas, onde não é raro observar pessoas entediadas ou impacientes vislumbrando a bênção final. Para finalizar, o sacerdote fez a consagração usando estas palavras. “Estar sempre pronto a conscientizar-se do que deve ser modificado, aperfeiçoado, em perspectivas, horizontes e visões mais amplos, é prática fundamental, solidificando esta união. Uma prática filosófica que opera cultivando e ofertando o melhor de si ao outro, e, por extensão imediata, por identidade de virtude e saber, ao grandioso universal, ao Cosmos”.

Casório Panteísta

Pôr do sol, domingo, barulho de mar
Tarde turquesa, caminho de flores, vento a soprar
Pessoas ao vento, fogo nas tochas aguardando o luar
Olhos atentos, vestido de renda, flor no cabelo, pai e mãe a levar

A admirável menina que em frente seguia rumo ao altar
Altar de pétalas e areia, bonito que era na frente do mar
Mar de Afrodite que a todos consente o prazer de amar
E o doce menino de pele riscada, sorriso dourado, feliz a esperar

Cantos soavam por entre os coqueiros buscando chamar
Pra aquele momento de fogo, água, terra, céu e vento
Onde amor toma tento e resolve juntar

Reunir sentimentos, famílias e amigos pra abençoar
Nenhuma palavra, nem este soneto poderão expressar
A natureza mais bela é a que se vê ao amar

____________________

Além de casamentos, a Sociedade Panteísta Ayahuasca realiza batizados e cerimônias fúnebres. Maiores informações com Régis Alain Barbier: 
barbier-ra@uol.com.br / (81) 99771033.



















3 comentários:

  1. Que lindo!!! Maravilhos mesmo. Acho que só os que estavam presentes podem descrever o momento mágico.

    ResponderExcluir
  2. muito lindo, desejo luz, paz e amor!

    ResponderExcluir